Sobre o Lucas


Sobre o Lucas Foresti

#PAIXÃO DE PAI PARA FILHO
Lucas Foresti nasceu com velocidade no sangue. Herdou tudo de seu pai, Victor, ex-campeão de Marcas e Pilotos e um dos grandes nomes do enduro nos anos 90, sendo campeão  brasileiro de Enduro Cross-Country e Regularidade, representando grandes marcas como Yamaha, Kawasaki, Gas Gas, Husqvarna e Alfer.
Com isso, acabou sendo natural que o primeiro contato de Lucas com a velocidade fosse com as duas rodas, quando ganhou uma CR50 para disputar provas de motocross.
Tudo ia bem, com vitórias e títulos nas categorias 50, 65 e 80 cilindradas até um acidente durante uma etapa em Acreúna (GO), quando Lucas fraturou duas costelas e o ombro.
A aventura nas duas rodas estava acabada. Proibida pelo pai piloto de moto, com dor no coração.
 
 
#EIS QUE SURGE O KART E TUDO MUDA
Em junho de 2006, buscando uma forma de saciar sua sede pela velocidade que só cresceu após parar com o MX, Lucas descobriu que seu tio, Constantino Jr. (piloto campeão da Porsche Cup e com passagem pela F-3000, atual GP2, no início dos anos 90), possuía um kart estacionado na oficina de seu mecânico, Dibo. E o tio não conseguiu declinar o pedido do sobrinho para acelerar.
Esta foi a melhor coisa que Constantino Jr. fez.
A integração de Lucas com o kart foi imediata. Em sua primeira experiência no Kartódromo de Brasília, Lucas foi quarto na categoria Novatos. O suficiente para convencer o pai a seguir carreira nas quatro rodas. Louco por velocidade, Victor não precisou de poucos minutos para se apaixonar pela ideia.
De lá para cá, nunca mais saiu do lado de Lucas, mas tudo com uma condição: tirar notas boas na escola.
Moleza.
Além das notas boas no boletim, Lucas recheou seu currículo em dois anos no kartismo: foram nada menos que oito títulos mundiais. Em 2008, aos 16 anos, era hora do próximo passo, os monopostos. O primeiro gostinho aconteceu na etapa brasileira da F-BMW Americas, como preliminar da F1 em Interlagos.
 
 
#BRILHANDO COM AS RODAS DESCOBERTAS
O debut de Lucas nos monopostos aconteceu em 2009 com a Fórmula 3 Sul-americana (atual F3 Brasil), mostrando suas credenciais com estilo: terceiro colocado em sua primeira temporada, com vitória, pole e melhor volta.
No ano seguinte, foi uma maratona: F-3 sul-americana, Toyota Racing Series (ambas com vitórias), F-3 Inglesa e a competitiva GP3, onde teve seu primeiro ponto alto no automobilismo internacional ao ser segundo na etapa de Barcelona, ficando entre Alexander Rossi e Esteban Gutierrez, hoje titulares na F-1. Em 2010, ele ainda estreou na tradicionalíssima prova de F-3 em Macau.
A temporada de 2011 foi focada novamente na F3. Lucas abriu o ano com o título do F-3 Brasil Open e teve uma temporada fantástica na F-3 Inglesa, vencendo três provas, somando sete pódios, uma pole e duas melhores voltas. Depois de duas temporadas de muito aprendizado, chegou a hora de encarar foguetes mais potentes.
No ano de 2012, Lucas testou pela GP2, mas embarcou em duas temporadas na World Series. Contudo, os altos custos das competições europeias e a falta de perspectivas na burocrática e cruel Fórmula 1 (onde uma temporada ruim pode anular toda uma carreira), Lucas decidiu repensar seus rumos no caminho profissional e partiu para um novo desafio no fim de 2013: a Stock Car.
 
 
#CORRENDO CONTRA OS MELHORES DO BRASIL
O primeiro contato de Lucas com a Stock Car veio com a equipe Bassani, por onde disputou duas provas em 2013 e toda a temporada de 2014. Sem pressão, Lucas pôde se adaptar à categoria da melhor forma possível, pontuando em nove das 21 corridas com um equipamento que não fazia frente aos das grandes equipes, como Red Bull e Shell, por exemplo, comandadas pelo experiente Andreas Mattheis.
A atuação de Lucas chamou a atenção de uma das melhores equipes do grid, a AMG, que o contratou para a temporada 2015 e o resultado não poderia ter sido mais recompensador: mesmo tendo como companheiro de equipe o badalado Átila Abreu, vice-campeão em 2014, Lucas conquistou até agora o melhor resultado da equipe em 2015: a vitória em Curitiba.
A atuação também vem sendo reconhecida pela mídia: em uma eleição com jornalistas promovido pelo site Red Bull Motorsports e que será divulgada em duas semanas, Lucas foi eleito o grande destaque da temporada 2015.
 
 
#SUCESSO TAMBÉM FORA DAS PISTAS
Um dos pilotos mais simpáticos do grid e ativos nas redes sociais, Lucas movimenta uma multidão de seguidores, sendo 10 mil deles no Facebook e 46.6 mil no Instagram.
O retorno dos fãs é imediato, com a maioria das postagens em ambas as plataformas geralmente ultrapassando a marca de mil likes.
Além disso, Lucas é o único piloto do grid da Stock Car a possui um aplicativo próprio para smartphones.
 
 
#UM OLHO NAS PISTAS, OUTRO NOS LIVROS
Enquanto se dedica à carreira de piloto profissional, Lucas faz questão de se dedicar aos estudos, atualmente no meio do curso de graduação em Administração de Empresas na cidade de Brasília.
 
 
#MISTURANDO AUTOMOBILISMO E SOLIDARIEDADE
Em uma atitude inédita na Stock Car, Lucas Foresti lançou em 2015 uma campanha beneficente em prol do Instituto Ingo Hoffmann, que cuida de crianças com câncer. O interessado em participar doa um valor mínimo de dez reais e, em troca, tem sua foto estampada no capô do carro na prova final do ano, em Interlagos. A ação foi inspirada na "Wings For Life", aplicada pela equipe Red Bull na Fórmula 1 e a intenção do piloto é fazer
dessa atitude uma tradição anual.
 
 
#ESTRUTURA PROFISSIONAL POR TRÁS
Além de contar com o suporte da AMG, Lucas conta com um time de profissionais de saúde que cuidam de seu condicionamento físico (Lucas é um dos poucos pilotos do grid a participar de competições de triathlon, ao lado de Antonio Pizzonia, Daniel Serra e Tuka Rocha), além de uma gabaritada equipe de comunicação, que produz fotos, vídeos, press-releases e ações sociais constantemente.


DADOS PESSOAIS
Nome completo: Lucas C.B.Foresti.
Data de nascimento: 12/05/92 (23 anos)
Local de nascimento: Brasília, DF, Brasil
Escolaridade: curso superior em andamento (Administração de Empresas)

LINHA DO TEMPO